Atenção: este é um website pessoal e não oficial de testemunho e portanto todos os comentários e reflexões que não forem atribuídos a outras fontes, são somente opiniões pessoais e não podem traduzir a postura da pessoa, grupo, instituição, etc, aqui mencionados e promovidos. Com Imprimatur e Nihil Obstat dedes 2005, a obra mística divina “A Verdadeira Vida em Deus”tem todas as mensagens, livros, documentos, testemunhos, orações, palestras, peregrinações, retiros, casas de caridade e toda informação idônea e completa no

 

Site Oficial geral em inglês da obra mística divina evangelizadora "A Verdadeira Vida em Deus" em 26 idiomas  www.tlig.org 

 

 

em idioma português o Site Oficial é www.tlig.org/pg.html

 
 
Uma pessoa me disse que depois da transubstanciação as Santas Espécies Eucarísticas consagradas se forem mandadas ao laboratório mostrarão que continuam sendo pão e vinho; eu fiquei chocada e disse a essa pessoa que isso é blasfêmia, a aparência fica mas a substância é Corpo e Sangue, Alma e Divindade de Cristo e não mais pão e vinho.
O que essa pessoa está afirmando é a fórmula protestante que nega a Presença Real de Cristo na Diviníssima Eucaristia consagrada, como todos deveríamos saber. O protestantismo não tem Sucessão Apostólica e por isso não tem o Sacramento da Ordem Sacerdotal para poder celebrar a Santa Missa e consagrar a Eucaristia. Mesmo assim dizem que na Eucaristia se celebra só uma Ceia e que nela ocorre uma "consubstanciação", que é uma presença simbólica e espiritual de Jesus Cristo. Afirmam isso também em relação à consagração canônica tanto da tradição romana como da tradição ortodoxa. Que absurdo. 
De fato, depois da consagração eucarística canônica tanto da tradição romana como tradição ortodoxa, ambas com Sucessão Apostólica e portanto canônicas, há somente Corpo e Sangue, Alma e Divindade de Nosso Salvador e Senhor Jesus Cristo, o Filho de Deus, conforme o próprio Cristo institui e revelou, mandando celebrar em Sua memória.
O exemplo esse de envio a laborátório é uma blasfêmia e reforça a heresia protestante, que prega que a eucaristia é só ceia com presença simbolica e espiritual de Cristo  mediante uma consubstanciação.
 
Dizer que se as Sagradas Espécies fossem enviadas a laboratório provaria que continuam sendo pão e vinho é negar  o milagre eucarístico da Transubstanciação e nesse caso a pessoa não deveria nem pode comungar porque peca e se torna réu do Corpo e do Sangue de Cristo.
Tanto a Igreja Católica Romana como a Igreja Ortodoxa consagram a Eucaristia afirmando o milagre da transubstanciação que é de instituição divina e por isso dogma de fé.
Um celíaco, por exemplo radical, pode sim comungar do Pão consagrado porque não há mais pão apenas Carne de Cristo. Se não crê nisso não deve comungar porque nega a Presença Real de Cristo como verdadeira Carne sob o véu do pão cuja substância milagrosamente não é mais trigo.
A pessoa que me afirma o contrário citou o milagre eucarístico de Lanciano para dizer que este milagre é prova de que continua pão mas em Lanciano Deus transformou milagrosamente em Carne e Sangue as espécies, como um caso pontual. Dizer isso é um absurdo óbvio: e eu pergunto para que Deus faria esse milagre visível se não fosse para provar a transubstanciação???
Esse mesmo argumento de Lanciano ser um caso pontual, um simples milagre desvinculado da transubstanciação necessariamente precedente, jogou-me e me impôs um Padre católico em 2011, dentro da Catedral Metropolitana, professor de Liturgia de universidade católica. Que absurdo!! E assim, tendo sido confrontada com essas provocações,  me perguntei: existe algum "milagre eucarístico" que tenha ocorrido antes da Consagração na Santa Missa??
Não??
Pois é!
Então é bem óbvio que o "milagre eucarístico" como tem sido exposto é na verdade consequência do milagre eucarístico da transubstanciação na consagração eucarística e que, como é óbvio, mostra que não há mais vinho nem pão depois da consagração, mas apenas Corpo e Sangue Alma e Divindade de Cristo!!
Pela simples lógica aí está a questão e dizer que se mandasse ao laboratório como simples hipótese, sem fazê-lo mas dizendo só para justificar tal mega heresia, é já negar a transubstanciação com aquilo que quer dizer: mudança de substância que o milagre de Lanciano dá prova.
Então o que há de confuso aqui?
A confusão está no seguinte: na verdade o único "milagre eucarístico" que existe é o da transubstanciação com a consagração eucarística que acontece de modo invisível e que em alguns casos digamos por "questões pastorais" ou seja para provar a verdade Deus faz com que esse único milagre se torne visível Corpo e Sangue de Cristo.
Então a conclusão é que não existem vários milagres eucarísticos mas apenas um que é sempre o mesmo, atemporal e eterno que é a Transubstanciação que por primeira vez aconteceu na Santa Ceia de modo invisível conservando o véu de pão e vinho e que se atualiza a cada consagração eucarística na celebração da Santa Missa, Sacrifício Perpétuo incruento, de modo invísivel sob o véu do pão e do vinho. Então toda vez vez que Deus levanta o véu da aparência o único milagre eucarístico da transubstanciação, mudança milagrosa de substância, se torna visível como por exemplo em Lanciano.
Essa conclusão é lógica e óbvia e não sei se alguém já disse o que estamos aqui dizendo.
Não existem "milagres eucarísticos" mas apenas um único que pode ser invisível quase sempre e em alguns casos tornar-se visível para provar que a transubstanciação, mudança de substância, ocorre de verdade. E essa visibilidade é a tal "prova científica" se quiserem: é uma evidência visível e que se repete e que jamais ocorre antes ou sem a consagração eucarística canônica válida romana ou ortodoxa.
É claro que depois do único milagre acontecer e tornar-se visível pode ser levado a laboratório como no caso de Lanciano como uma segunda prova de que a Carne é viva e músculo do coração e o Sangue é vivo e humano de alguém submetido a terrível estresse como o da crucificação.
Mesmo com o milagre invisível poderiam levar ao laboratório para exame se é que que já não o fizeram, com espécies consagradas validamente...
Quem crê na transubstanciação, mudança milagrosa de substância, sem ver e sem prova é porque lhe foi revelado pelo Espírito Santo já.
Mas quem não crê e diz que é só pela fé que crê com boa vontade e propõe se fossem as espécies mandadas a laboratório se mostrariam só trigo e vinho, é porque o Espírito Santo ainda não lhe revelou.
Tudo que o Espírito Santo revela a uma alma, ela sente, sabe e acredita milagrosamente e não tem necessidade de provas embora rejubile com as provas que Deus dá sem temor de faltar com a fé pura.
Deus sabe muito bem quando a alma crê com fé pura por ter-se aberto a Deus.
A deficiente, incompleta ou equivocada interpretação das palavras de Deus revela os que ainda não se converteram inteiramente ou verdadeiramente.
Quando o Senhor disse que felizes são os que acreditam sem ver se referia a que estes já haviam recebido a revelação do Alto. Como disse do apóstolo Pedro quando este disse que Jesus era o Filho de Deus.
Assim se um celíaco, tomado aqui como um exemplo radical, acha que não pode comungar por causa do trigo então ele não acredita mesmo na transubstanciação e nem o Padre que consagra pensando o mesmo, e sendo assim nem o celíaco nem o Padre devem comungar pois se comungarem não crendo na transubstanciação se tornam réus do Corpo e Sangue de Cristo.
Não estou raciocinando bem real e com lógica?
O erro de abordagem sobre "milagre eucarístico" me parece fruto de ação demoníaca, Satanás é muito esperto inspirando armadilhas como essas que fazem desentender ou entender errado.
 
Repito:
Existe algum "milagre eucarístico" que tenha ocorrido antes da Consagração ou sem a Consagração Eucarística??
Não??
Pois é.
 
A mesma linha de raciocínio proponho em relação ao Santo Sudário de Turim e a Tilma da Santíssima Virgem Maria de Guadalupe no México.
 
No caso da pessoa celíaca, por exemplo, pergunto: falta fé de Abraão? ou o que? Medo de que? De dar testemunho a toda prova?
 
Somos uns cristãos frouxos? Cristãos de fachada?
 
 
Corrija um sábio e o fará mais sábio. Corrija um tolo e o fará teu inimigo. Provérbios 9
  
Profa. Maria Isabel de Castro Menezes Cañete