Maternidade Espiritual é muito necessária e urgente

Maternidade espiritual para os sacerdotes

A vocação para ser uma mãe espiritual para os sacerdotes é muito pouco conhecida e mal compreendida e, portanto, raramente vivida, apesar de sua vital e fundamental importância. Esta vocação muitas vezes se encontra escondida

VirgoSacerdos2

Pe. Juan Manuel Rodríguez de la Rosa — Adelante la Fe | Tradução Sensus fidei: Queridos irmãos, em 8 de dezembro de 2007, a Congregação para o Clero publicou um documento intitulado: Adoração, Reparação, maternidade espiritual para Sacerdotes. O documento deseja que surja um movimento espiritual que, tomando consciência do vínculo ontológico entre Eucaristia e Sacerdócio, e da especial maternidade de Maria para todos os sacerdotes, faça nascer uma corrente de adoração perpétua, para a reparação das faltas e para santificação dos clérigos como início de compromisso das almas femininas consagradas para que, sob a tipologia da Santíssima Virgem Maria, mãe do Sumo e Eterno Sacerdote e Sócia de sua obra de Redenção, queiram adotar espiritualmente sacerdotes com a oferta de si mesmas, com a oração e penitência.

A vocação para ser uma mãe espiritual para os sacerdotes é muito pouco conhecida e mal compreendida e, portanto, raramente vivida, apesar de sua vital e fundamental importância. Esta vocação muitas vezes se encontra escondida.

O sacerdote precisa estar animado das virtudes dos santos e dos sacerdotes exemplares, de uma piedade ardente e de um vivo espírito de sacrifício. E, especialmente, deve sentir-se filho predileto da Mãe Santíssima. Não pode haver um sacerdócio santo, sem um amor predileto pela Santíssima Virgem, sem uma íntima relação do sacerdote com Ela, sem uma constante invocação à sua proteção maternal. Nossa Mãe irá formando o sacerdote segundo o Sagrado Coração de Jesus; só Ela pode auxiliar seu filho sacerdote em seu ministério, por conhecer perfeitamente as insuficiências, carências, imperfeições do filho. Com que amor e dedicação a Santíssima Virgem toma aos seus cuidados o sacerdote que se propõe a ficar sob o seu amparo.

A maternidade espiritual para os sacerdotes olha para a Mãe que, através da oração, sacrifício, adoração eucarística, transborde-se em uma fonte de graças para aqueles sacerdotes que tenham sido adotados como filhos espirituais. Ser mãe espiritual requer amar profundamente nossa Santa Mãe Igreja, compreender a importância insubstituível do sacerdote, a importância da sua santidade, de seu zelo pela salvação das almas.

O que há de adornar uma mãe espiritual? Humildemente penso que, essencialmente, o seguinte:

Desejo ardente para a oração

A convicção da eficácia da oração que alcança o Céu quando provém de um coração simples e humilde, pois Deus não o despreza. Uma mãe espiritual é uma alma de oração que busca o recolhimento, o silêncio, a intimidade com o Senhor; tem plena convicção de que a oração é ouvida e sabe que o Espírito Santo é quem age e opera.

A mãe espiritual reza, espera e confia. Não se inquieta nem se perturba. Persevera sempre na oração, sabendo que esse é o seu papel essencial, orar, orar e orar e pedir pela santificação sacerdotal e as vocações sacerdotais.

A mãe espiritual, em suas ocupações pessoais, sabe buscar o tempo de oração, porque sabe que nela estão os frutos de sua vocação. Pensa nos sacerdotes confiados aos seus cuidados que necessitam dela e de sua oração para que perseverem fielmente no seu sacerdócio, para que se fortaleçam em suas fraquezas, para que se sintam apoiados em suas quedas, para que sintam o poder da graça de ordem sacerdotal que os impulsiona à santidade sacerdotal.

Se é uma dona de casa sabe, dentro de seus quefazeres próprios, ter seu coração em oração nos momentos adequados e sem que ninguém se aperceba disso. Mesmo quando não possa dispor de mais oportunidades para a oração e o recolhimento, como ela gostaria, oferece ao Senhor o seu fervoroso desejo de santificação dos sacerdotes e de vocações sacerdotais.

Sacrifício e penitência

A mãe espiritual há de conhecer e viver a reparação para poder reparar tantas ofensas e queixas ao Sagrado Coração de Jesus diante de tantas infidelidades e debilidades sacerdotais. Há de compensar com o seu amor o dolorido Coração de Jesus que sofre e sangra com tantas traições daqueles que deveriam ser reflexos d’Ele na Sua Igreja. Portanto, a mãe espiritual deve estar sempre disposta para a penitência e para o sacrifício, que pode oferecer em tantas e tantas coisas da vida ordinária; não há de rejeitar as cruzes que Deus lhe possa enviar, senão aceitá-las como parte fundamental da sua vocação maternal – espiritual.

Uma mãe espiritual é uma mulher que, estando no mundo não é do mundo, porque não se deixa prender por seus falsos encantos, não segue as modas, pois tem o seu coração posto no Senhor e em seus filhos espirituais; trata de santificar todas as suas ações, mesmo as mais humildes e simples; sabe privar-se do que gosta e fazer o que não gosta, mas faz tanto uma coisa quanto outra, porque conhece o valor e a necessidade da reparação e deseja reparar para desagravar o Sagrado Coração de Jesus, Sumo e Eterno Sacerdote e santificar os seus filhos espirituais.

Adoração eucarística

A mãe espiritual deve saber que na Santa Hóstia, Cristo está realmente presente, e diante de tão inaudita realidade saberá estar aniquilada de amor, devoção e respeito. Contemplará o Sagrado Coração que palpita por amor aos seus filhos sacerdotes chamados a ser reflexos Seus; mas também palpita por todos. Em seu Divino Coração estão alojados todos os pecados dos homens que Ele queria levar sobre Si para reparar. Seu Divino Coração sangra pelos pecados que não cessam, à espera de almas que queiram consolá-Lo adorando-O, reparando-O, oferecendo-Lhe amor, pureza e oração.

Diante da Sagrada Hóstia se sentirá na presença do Sacerdote eterno, pois toda a vida de Nosso Senhor é uma vida sacerdotal que contempla o sacrifício do Calvário, porque fomos redimidos com o Seu Precioso Sangue no alto da Santa Cruz. Na Hóstia Santa, Jesus Cristo exerce o seu sacerdócio porque nela está contida toda a sua obra redentora; contemplar a Sagrada Hóstia é contemplar a sua vida sacerdotal desde a Encarnação até o Calvário e Sua Divina Ressurreição.

Santo Sacrifício da Missa

A mãe espiritual deve saber que o sacerdote o é essencialmente para o sacrifício da Missa. Há de viver a Santa Missa com grandíssima devoção, fervor e respeito. A Santa Missa indignamente oficiada pelo sacerdote é o maior ultraje que se faz para com Nosso Senhor, portanto, a mãe espiritual será muito consciente da grande importância da Santa Missa dignamente oficiada, com a dignidade que requer tão grande mistério; a mãe espiritual não será complacente com os abusos litúrgicos, e muito menos participará deles.

Na Santa Missa é o sacerdote exercendo o maior e mais importante do seu ministério, é o momento especial de santidade sacerdotal, é quando mais intimamente está unido a Jesus Cristo, Nosso Senhor. Esta é a razão pela qual a mãe espiritual viverá com grande unção e santidade a Santa Missa.

Amor à Santíssima Virgem, Mãe de Jesus Cristo Sacerdote

A mãe espiritual há de ter um amor especialíssimo à Santíssima Virgem, Mãe do Sumo e Eterno Sacerdote. A Ela recorrerá em sua especial maternidade espiritual, tentando fazer de sua vida um reflexo d’Ela. Tratará de imitar as suas virtudes, pelo menos, não deixará de pedi-las. Maria é o caminho para chegar ao Filho, é a Medianeira de todas as graças, é a Mediação de tudo o que Deus Todo-Poderoso quer nos conceder. A mãe espiritual recorrerá a Maria em seus pedidos, consciente de Seu poder de intercessão e como mediação de todas as concessões divinas.

Assim como Maria tudo guardava em seu coração, também a mãe espiritual, saberá perseverar em sua missão de orar por seus filhos espirituais, colocando tudo nas mãos do Senhor, sem se preocupar em nada mais além de ser fiel à sua maternidade espiritual.

Ave Maria Puríssima.

Pe. Juan Manuel Rodriguez de la Rosa.

Publicado originalmente: Adelante la Fe — Maternidad Espiritual para los Sacerdotes